15 de Junho, 2024
Edit Content
Bactérias Intestinais Podem Aumentar os Efeitos da Imunoterapia Contra o Câncer, Sugere Estudo
CiênciaEstudo

Um estudo promissor realizado por pesquisadores da Escola de Medicina da Universidade de Washington em St. Louis descobriu que uma bactéria intestinal comum, chamada Ruminococcus gnavus, pode melhorar significativamente a eficácia da imunoterapia contra o câncer em camundongos. A descoberta abre novas portas para o desenvolvimento de terapias inovadoras que combinam probióticos com imunoterapia para combater o câncer de forma mais eficaz.

A imunoterapia, uma abordagem no tratamento do câncer, utiliza o próprio sistema imunológico do corpo para atacar e destruir tumores. Apesar do sucesso notável em alguns tipos de câncer, como o de pulmão e o melanoma, a imunoterapia nem sempre é eficaz para todos os pacientes.

Os pesquisadores ainda estão desvendando os mecanismos exatos pelos quais o Ruminococcus gnavus aumenta a resposta à imunoterapia. Uma das hipóteses é que a bactéria produza metabólitos durante a digestão dos alimentos que ativam o sistema imunológico e aprimoram sua capacidade de combater tumores. Outra possibilidade é que a bactéria influencie diretamente as células T intestinais, induzindo-as a migrar para os tumores e atacá-los.

O estudo, publicado na revista Science Immunology em 17 de maio, demonstra que a presença de Ruminococcus gnavus no intestino dos ratos amplificou consideravelmente os efeitos da imunoterapia, levando à eliminação completa de tumores em alguns casos. Essa descoberta abre caminho para o desenvolvimento de probióticos contendo R. gnavus como um complemento à imunoterapia, potencialmente beneficiando um número maior de pacientes com câncer.

A equipe de pesquisa planeja continuar investigando os mecanismos subjacentes à interação entre R. gnavus e a imunoterapia contra o câncer. Eles também pretendem realizar estudos em humanos para avaliar a segurança e a eficácia de probióticos contendo R. gnavus como complemento à imunoterapia em pacientes com câncer.

As descobertas deste estudo representam um passo significativo no aprimoramento da imunoterapia contra o câncer. A potencialização da imunoterapia através de probióticos à base de Ruminococcus gnavus tem o potencial de beneficiar um número maior de pacientes, expandindo o alcance dessa terapia inovadora e salvando mais vidas.

Foco Saúde//

Deixa o seu comentário