12 de Junho, 2024
Edit Content
Especialista alerta para o perigo de uso de pestanas artificiais
EntrevistaNotícia
Foco Saúde

O uso prolongado de pestanas postiças aumentam o risco de lesões ou infecções oculares que podem comprometer a visão, alertou, esta quarta-feira, em Luanda, a médica oftalmologista, Rosa Fernandes.

Em declarações à ANGOP, para abordar o assunto, disse que diariamente chega a atender dois a três pacientes com problemas nos olhos derivados de pestanas postiças.

De acordo a especialista, estes acessórios de beleza servem de porta de entrada de partículas dos olhos que podem causar diversas infecções.

A médica oftalmologista explicou que as pestanas naturais servem de barreiras e protecção para o olho e já postiças realçam a beleza, mas perigam a saúde dos olhos, porque implica um recurso de colas químicas com bastantes resíduos.

“Recebo muitas pacientes com os olhos muito vermelhos, ardor e a lacrimejar, sem conseguir abrir os olhos e quando ouvimos a razão é devido ao uso deste produto “ disse.

Explicou que uma dessas infecções é a blefarite, caracterizada pela inflamação nas glândulas existentes na raiz dos cílios, causando lacrimejamento, para além da Ceratite, que agride a córnea e causa arranhaduras no tecido.

Advogou a necessidade, em casos de irritabilidade nos olhos, de uma avaliação médica para identificar se o quadro é infeccioso ou não.

Claudete Francisco, maquilhadora há mais de 5 anos e dona de um salão de beleza, afirmou que o uso de pestanas postiças está a tornar-se cada vez mais comum entre as mulheres e o nível de procura dos clientes é cada vez mais crescente.

Fez saber que a preferência vai desde as curtas as mais longas, com um único objectivo de realçar a beleza dos olhos.

Adepta da extensão de cílios, há quase um ano, a estudante Vanuza Andrade diz que ignorava qualquer tipo de consequência até notar algo de errado nos olhos nos últimos quatro meses.

A estudante universitária relata que, três horas após o procedimento, suas pálpebras começaram a ficar avermelhadas, inchadas e doloridas, tendo de recorrer ao hospital.

Por sua vez, a funcionária pública Creusa Ventura fala que sabe das suas consequências, mas faz uso por se tornar um vício.

Deixa o seu comentário