12 de Junho, 2024
Edit Content
Especialista defende criação de mais centros de tratamento do cancro
AngolaAssistência Médica

 A enfermeira oncológica Sónia Capalo defendeu hoje, quarta-feira, no município do Cubal  província de Benguela, a necessidade de criação de mais centros de tratamento do cancro, fora de Luanda.

Sónia Capalo, do Instituto Angolano de Controlo do Cancro, falava durante uma palestra sobre os cancros da mama e da próstata, dirigida a munícipes do Cubal, numa promoção da empresa XELA SERVICE.

A técnica afirmou que o número de pacientes que acorrem ao Instituto é cada vez mais elevado, daí a necessidade do surgimento de mais hospitais para o tratamento da doença em outras províncias, porque o único Centro, em Luanda, já não suporta a demanda.

“Tem havido muitos constrangimentos com os pacientes vulneráveis que não têm familiares em Luanda, provenientes de outras províncias do país”, lamentou.

Segundo a enfermeira, só no primeiro semestre deste ano, o Instituto diagnosticou 194 casos de cancro que resultaram na morte de 98 pacientes.

Sónia Capalo considera que a falta de conhecimento sobre a doença no seio da população ainda é grande. “Há necessidade dos homens e mulheres fazerem o rastreio antes dos 50 anos, mas em caso de histórico da doença no seio familiar, deve ser mais cedo”, disse.

A profissional enfatizou que os homens sempre duvidaram da ocorrência de cancro da mama no sexo masculino, o que está errado.

Aproveitou para elucidar que os homens também podem ter cancro da mama, pois, a única coisa que os difere das mulheres é que não têm desenvolvimento do tecido mamário.

“Quando o homem aceitar que tem mama, também irá acreditar que pode ter cancro da mama mesmo ela não estando desenvolvida”, afirmou.

A especialista em oncologia disse que para se prevenir os cancros da mama e da próstata é necessário ter bons hábitos alimentares, evitar o tabagismo, optar por exercícios físicos e combater a obesidade.

Adiantou que, no caso das mulheres, elas precisam deixar a vaidade e amamentar os seus filhos, porque, não amamentando, podem desenvolver cancro da mama.

Entretanto, o vice-presidente da XELA SERVICE, José Salvaterra, fez saber que, pela pertinência do tema, o grupo vai expandir o ciclo de palestras para demais regiões da província de Benguela.

Segundo o responsável, o tema sobre o câncer da mamã tem grande reflexo na saúde reprodutiva das mulheres.

Garantiu, por outro lado, que para além do câncer, o grupo vai apoiar as unidades hospitalares destes municípios com kits para testagem do paludismo, bem como com alguns instrumentos para controlo da hipertensão.

Na ocasião, foram entregues vários kits sanitários ao hospital municipal do Cubal.

Fonte: Angop

Deixa o seu comentário