30 de Maio, 2024
Edit Content
Estoques global de vacinas contra a cólera ‘vazios’ com aumento de casos
InternacionalNotícia

O stock global de emergência de vacinas contra a cólera está vazio, com todas as doses disponíveis para este mês já atribuídas a países que lutam contra grandes surtos, disseram duas agências das Nações Unidas à Reuters.

O resto deste ano verá um déficit previsto de pelo menos 50 milhões de doses entre a demanda e a oferta, acrescentou um funcionário do Unicef, à medida que os casos continuam a aumentar em todo o mundo.

“O estoque está vazio”, disse Philippe Barboza, líder da OMS, agência de saúde da ONU.

A escassez aguda de vacinas contra a cólera é um problema desde pelo menos outubro de 2022, quando a OMS recomendou o uso de apenas uma dose, em vez de duas, para esticar o estoque que administra em conjunto com outras agências de saúde.

Mas o recente aumento de casos, particularmente em países como Zâmbia e Zimbábue, colocou ainda mais pressão sobre a oferta escassa.

Somente em janeiro, 40.900 casos e 775 mortes foram relatados em 17 países, disse a OMS em uma atualização sobre a situação global da cólera divulgada nesta segunda-feira.

A cólera pode matar em poucas horas sem tratamento, embora também possa causar sintomas leves ou ausentes. As crianças com menos de cinco anos estão particularmente em risco.

A doença é causada por uma bactéria espalhada em alimentos e água contaminados, e o acesso a água limpa e saneamento são importantes para impedir a disseminação. Mas as vacinas também são uma ferramenta que salva vidas.

Atualmente, há apenas um produtor aprovado pela OMS que produz vacinas contra a cólera para uso global, a sul-coreana Eubiologics Co, embora esforços estejam em andamento para expandir o pipeline.

O vice-diretor de suprimentos de imunização do Unicef, Andrew Jones, disse que cerca de 2,5 milhões de doses da vacina estão disponíveis mensalmente, com cerca de 40 milhões no total esperadas este ano. No entanto, a demanda deve ficar entre 90 e 100 milhões de doses tanto para resposta a surtos quanto para campanhas preventivas em 2024, disse ele.

Barboza disse que alguns países não estão solicitando doses porque sabem que não há mais nenhuma.

Aqueles que pedem muitas vezes dificilmente receberão o valor solicitado. A Zâmbia solicitou 3,3 milhões de doses de vacina, mas apenas 1,9 milhão foram alocadas em 7 de fevereiro.

Jones disse que as agências que gerenciam o estoque tinham que “priorizar esses pedidos (…) que devem salvar o maior número de vidas”.

Fonte: Reuters

Deixa o seu comentário