12 de Junho, 2024
Edit Content
Hospital Geral de Ondjiva sem material ortopédico na quadra festiva
Assistência MédicaSaúde
Ondjiva – O Hospital Geral de Ondjiva (HGO), província do Cunene, regista diminuição do stock de material ortopédico, para fazer face à possível demanda de pacientes com fracturas resultantes de acidentes de viação na quadra festiva

A informação foi prestada à ANGOP, esta quinta-feira, pela directora clínica do Hospital Geral de Ondjiva, Eufrasina de Oliveira, referindo que a unidade regista uma ligeira debilidade dos materiais de fixação de fracturas ósseas e espinos.

Sem precisar números, justificou que o elevado número de pacientes atendidos vítimas de acidentes de viação, particularmente de motociclos com média diária de seis a oito acidentes contribuiu para a escassez do material em questão.

Eufrasina de Oliveira explicou que os custos do referido material são elevados e que, actualmente, não aparecem em grandes quantidades  no mercado, porque os fornecedores   têm dificuldades de o importar.

No  mercado nacional, acrescentou, o material é difícil de adquirir porque a sua produção é apenas no exterior.

Por outro lado, a responsável apelou à população para doarem sangue, de modo a garantir reservas na maior unidade hospitalar da província, para atender os pacientes vítimas de acidentes de viação nesta época do ano.

Disse que, apesar das várias campanhas de doação realizadas por igrejas, organizações partidárias, associações e particulares, a quantidade de sangue recepcionado ainda é diminuta, porque após realização da triagem, algumas prestações são descartadas.

Em termos de prontidão da assistência, disse estar tudo salvaguardado, com o reforço em termo de pessoal e disponibilidade de fármacos e materiais gastável, sobretudo para o banco de urgência e serviços cirúrgicos, no sentido de ser prestada uma assistência eficiente às pessoas.

Fez saber que a unidade conta com 15 médicos, destes três  para as equipas de medicina e pediatrias gerais, obstetrícia, cirurgias, assim como equipas constituídas por 10 a 15 técnicos de enfermagem  para cada área de banco de urgência, sala vermelha e internamentos.

Comparando com os anos anteriores, referiu que em 2023/2024 houve reforço das equipas fruto dos últimos ingressos no concurso público, garantindo deste modo maior  mobilidade das equipas médicas, enfermeiros e técnicos auxiliares, para que possam responder à demanda, que nestas alturas regista um aumento.

Além do aumento de profissionais, informou existir o stock de fármacos e materiais gastáveis, com vista a dar resposta ao possível aumento de pacientes.

Entretanto, apelou para maior atendimento de doentes com casos leves nas unidades sanitárias periféricas do Caculuvale, Onahumba, Naipalala e Caxila, de modo a descongestionar o Hospital Geral de Ondjiva.

No domínio do transporte, disse que o hospital dispõe de duas ambulâncias novas para transladar os pacientes em estado mais grave para a província da Huíla ou para a vizinha República da Namíbia e outras três em estado razoável, assim como conta com o apoio do INEMA  e Serviços de Bombeiros.

Devido ao incêndio na antiga unidade hospitalar da província do Cunene, a 5 de Outubro de 2020, os serviços do HGO foram transferidos de forma provisória para o Hospital Municipal do Cuanhama localizado no Ekuma.

Com capacidade para 70 camas, actualmente a unidade dispõe de mais 200 leitos em relação à sua capacidade de internamento e presta serviços em várias especialidades, entre as quais medicina, pediatria, obstetrícia, estomatologia, hemoterapia, ginecologia, cirurgia, ortopedia, entre outros serviços.

Fonte: Angop

Deixa o seu comentário