30 de Maio, 2024
Edit Content
Médicos da lusofonia querem acesso livre aos vistos profissionais 
Notícia

A vice-presidente da Comunidade Médica de Língua Portuguesa (CMLP), Elisa Gaspar, defendeu ontem, terça-feira, o acesso livre aos profissionais de saúde no quesito da formação de especialidades.

Elisa Gaspar, que falava à imprensa no final do encontro lusófono da CMLP, actualmente já se vê uma abertura dos médicos a fazer a pós graduação em outros países, mas considera ainda insuficiente.

A também bastonária da Ordem dos Médicos de Angola, destacou a importância  do intercâmbio, porque a realidade dos países como Portugal e o Brasil são completamente diferentes da de Angola em termos de avanços.

Por outro lado, prosseguiu, existem outros países da lusofonia que estão menos preparados que Angola, por isso, também tem dado o seu contributo a esses países. 

Elisa Gaspar disse ser esse o objectivo do intercâmbio entre os profissionais, pois deste modo quem ganha são as populações. 

Por sua vez, o bastonário da Ordem dos Médicos de São Tomé e Príncipe, Celso Matos disse que a formação de médicos de especialistas continua é importante porque ainda existe uma lacuna na cobertura médica nas populações.

Já o bastonário da Ordem dos médicos de Cabo Verde, Denilson Viegas disse que infelizmente ainda existem grandes problemas da medicina especializada em Cabo Verde, em particular e no continente, no geral.

O evento teve como objectivo fortalecer as relações entre todos os médicos dos países de Língua Portuguesa e inseriu-se nas celebrações do Dia Mundial da Língua Portuguesa (5 de Maio). 

Fonte: Angop

Deixa o seu comentário