30 de Maio, 2024
Edit Content
Namíbia elimina a transmissão vertical do VIH e da hepatite B de mãe para filho
Internacional

A Namíbia tornou-se o primeiro país africano a eliminar a transmissão vertical do VIH e da hepatite B de mãe para filho, um marco crucial na luta contra estas doenças prevalente no continente. Este feito notável demonstra o compromisso do país com a saúde das mães e das crianças, e serve como um farol de esperança para outras nações em África e no mundo.

A conquista da Namíbia é ainda mais significativa considerando o contexto de alta prevalência do VIH e da hepatite B no continente africano. A região oriental e austral de África alberga mais de metade da carga global de VIH, e África é responsável por dois terços das novas infecções por hepatite B a nível mundial. Na própria Namíbia, mais de 200.000 pessoas vivem com VIH, com as novas infecções afectando desproporcionalmente as mulheres.

Apesar destes desafios, a Namíbia perseverou e implementou uma série de estratégias eficazes para combater a transmissão vertical. O país integrou os cuidados de saúde primários com serviços pré-natais, de saúde infantil e de saúde sexual e reprodutiva, garantindo acesso universal a testes de VIH, diagnósticos e tratamento para mulheres grávidas. Além disso, o governo alocou financiamento interno estável para programas de saúde nacionais, assegurando serviços clínicos e apoio de qualidade gratuitos.

Reconhecimento internacional e um modelo para o futuro

O sucesso da Namíbia foi reconhecido pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que atribuiu ao país o estatuto de “escalão de prata” para os progressos realizados na redução da hepatite B e de “escalão de bronze” para os progressos na eliminação do VIH. A OMS também destacou a abordagem holística da Namíbia, integrando a saúde materna e infantil na resposta ao VIH, como um factor chave para o seu sucesso.

O marco da Namíbia serve como um modelo inspirador para outros países em África e no mundo que lutam contra a transmissão vertical do VIH e da hepatite B. A sua história demonstra que, com liderança política comprometida, investimento em saúde pública e estratégias abrangentes focadas nas pessoas, a eliminação destas doenças é possível.

A caminho da tripla eliminação: VIH, sífilis e hepatite B

A Namíbia não se contenta com este marco notável e está empenhada em alcançar a tripla eliminação da transmissão vertical do VIH, da sífilis e da hepatite B. A Iniciativa para a Tripla Eliminação da OMS visa acabar com a transmissão vertical destas doenças, prevalentes em países de rendimento baixo e médio. Esta iniciativa incentiva os países a se comprometerem com a eliminação da transmissão vertical e a integrarem serviços de forma abrangente, usando uma abordagem centrada nas pessoas para melhorar os resultados de saúde para mães e crianças.

O sucesso da Namíbia na eliminação da transmissão vertical do VIH e da hepatite B de mãe para filho é um testemunho do poder da determinação, da inovação e do compromisso com a saúde pública. O país serve como um farol de esperança para outras nações em África e no mundo, demonstrando que a tripla eliminação é possível e que um futuro livre destas doenças está ao nosso alcance.

Foco Saúde//

Deixa o seu comentário