15 de Junho, 2024
Edit Content
Nova Zelândia prepara-se para acabar com a primeira proibição do tabaco no mundo
InsólitoInternacionalNotícia

A Nova Zelândia vai revogar na terça-feira uma lei inédita no mundo que proíbe a venda de tabaco para as gerações futuras, disse o governo, mesmo enquanto investigadores e activistas alertam para o risco de as pessoas poderem morrer como resultado.

Previstas para entrar em vigor a partir de julho, as regras antitabaco mais rígidas do mundo teriam proibido as vendas para os nascidos após 1º de janeiro de 2009, cortado o teor de nicotina em produtos de tabaco fumado e reduzido o número de registas de tabaco em mais de 90%.

O novo governo de coalizão eleito em outubro confirmou que a revogação acontecerá na terça-feira com urgência, permitindo que ele elimine a lei sem buscar comentários públicos, de acordo com os planos anunciados anteriormente.

O ministro adjunto da Saúde, Casey Costello, disse que o governo de coalizão está comprometido com a redução do tabagismo, mas está adotando uma abordagem regulatória diferente para desencorajar o hábito e reduzir os danos que ele causou.

“Em breve tomarei um pacote de medidas para aumentar as ferramentas disponíveis para ajudar as pessoas a parar de fumar”, disse Costello, acrescentando que as regulamentações sobre vaping também serão mais rígidas para dissuadir os jovens.

A decisão, fortemente criticada por seu provável impacto nos resultados de saúde na Nova Zelândia, também gerou críticas por causa dos temores de que pudesse ter um impacto maior nas populações Maori e Pasifika, grupos com taxas de tabagismo mais altas.

A revogação contraria evidências robustas de pesquisa, ignora medidas fortemente apoiadas por líderes maori e preservará as iniquidades em saúde, disse a pesquisadora Janet Hoek, da Universidade Otago.

“Ensaios clínicos em larga escala e estudos de modelagem mostram que a legislação teria aumentado rapidamente as taxas de cessação entre fumantes e tornado muito mais difícil para os jovens começarem a fumar”, disse Hoek, codiretor de um grupo que estuda maneiras de reduzir o tabagismo.

Fonte: Reuters

Deixa o seu comentário