23 de Julho, 2024
Edit Content
OMS – Timor-Leste deverá lançar este ano vacina contra cancro no colo do útero
InternacionalNotícia

Timor-Leste pretende lançar a vacina contra o Vírus do Papiloma Humano (HPV), responsável pelo cancro no colo do útero, ainda este ano, disse, esta segunda-feira, o representante no país da Organização Mundial de Saúde (OMS).

“A maior parte do cancro do colo do útero é causado pelo HPV e a vacina contra pode desempenhar um papel fundamental na prevenção. Timor-Leste planeia lançar a vacina contra o HPV ainda este ano”, referiu Arvind Mathur, em comunicado divulgado à imprensa.

O representante residente da OMS acrescentou que Timor-Leste vai introduzir um teste do HPV, para permitir às “mulheres recolher as suas amostras no conforto das suas casas ou em locais seguros”.

De acordo com dados da OMS, em 2019, cerca de 28 mulheres timorenses morreram devido à doença, mas muitos casos continuam sem ser notificados. “Anualmente, estima-se que ocorram 10 casos de cancro do colo do útero por 100 mil mulheres em Timor-Leste, e seis mulheres morrem em cada 100 mil devido a este cancro”, referiu a OMS.

Arvind Mathur salientou que o país já dispõe de duas instalações de rastreio do cancro do colo do útero, nomeadamente nos hospitais públicos de Díli e Baucau. “Aqueles centros oferecem uma ampla gama de serviços, incluindo triagem visual com ácido acético, uma máquina de colposcopia e a capacidade de realizar procedimentos de ablação térmica para cancros em estágio inicial e lesões pré-cancerosas”, disse.

Para a OMS, a eliminação do cancro do colo do útero em Timor-Leste “é um objetivo alcançável, mas requer um esforço conjunto do Governo, dos profissionais de saúde, das comunidades e dos parceiros internacionais”. “Ao aumentar a consciencialização, melhorar os programas de rastreio, implementar iniciativas de vacinação, investir em infraestruturas de saúde e promover o envolvimento comunitário, podemos avançar em direção a um futuro onde o cancro do colo do útero já não ameace as mulheres de Timor-Leste”, salientou Arvind Mathur.

Deixa o seu comentário