30 de Maio, 2024
Edit Content
Professores de medicina da Coreia do Sul se juntam a protestos e reduzem horas na prática
InternacionalNotícia

Professores de medicina na Coreia do Sul, disseram que vão reduzir as horas que passam na prática a partir de segunda-feira para apoiar os médicos estagiários em greve há mais de um mês, devido a um plano do governo para aumentar as admissões nas escolas de medicina.

“Está claro que o aumento das admissões nas escolas médicas não apenas arruinará a educação nas escolas médicas, mas fará com que o sistema de saúde de nosso país entre em colapso”, disse Kim Chang-soo, presidente da Associação de Professores de Medicina da Coreia, a repórteres.

Ele disse que os professores começarão a reduzir o tratamento ambulatorial para se concentrar em pacientes de emergência e graves, enquanto alguns apresentarão suas renúncias.

A greve dos médicos estagiários por causa de um plano para aumentar o número de alunos admitidos todos os anos na faculdade de medicina a partir de 2025 obrigou vários hospitais a recuar doentes e a adiar procedimentos.

O governo diz que o plano é vital para remediar a escassez de médicos em uma das sociedades de envelhecimento mais rápido do mundo, mas críticos disseram que as autoridades deveriam se concentrar em melhorar as condições de trabalho dos médicos estagiários primeiro.

Os médicos estagiários estão em greve desde 20 de fevereiro, e o presidente Yoon Suk Yeol, que fez das reformas da saúde uma de suas principais iniciativas políticas, prometeu não recuar na implementação do plano de admissões.

O governo também ameaçou suspender as licenças dos médicos que deixaram seus empregos, mas no domingo, Yoon pareceu buscar uma abordagem mais conciliadora e instou o primeiro-ministro Han Duck-soo a buscar “medidas flexíveis” para lidar com a suspensão.

Fonte: Reuters

Deixa o seu comentário