5 de Março, 2024
Edit Content
Província do Huambo precisa mais de 19 mil técnicos de saúde
AngolaAssistência MédicaNotíciaReportagem
Entre médicos, técnicos de enfermagem, diagnóstico e terapêutica, laboratório e análises clínicas, o sector da Saúde na província do Huambo precisa de mais 19.600 quadros

Os dados foram avançados pelo director do Gabinete Provincial da Saúde, Lucas Nhamba, quando fazia o balanço das actividades desenvolvidas durante o ano passado.

Em declaração ao Jornal de Angola, Lucas Nhamba explicou que o sector da Saúde no Huambo é assegurado por 7.552 profissionais, entre médicos, enfermeiros, administrativos e de apoio hospitalar.

O Gabinete Provincial da Saúde, acrescentou, controla 273 unidades sanitárias, entre hospitais de referência, centros e postos de saúde.

Lucas Nhamba considera reduzido o número de unidades sanitárias, sendo, na sua óptica, necessária a construção de pelo menos 71 centros médicos e 342 postos de saúde, para descongestionar as unidades sanitárias dos onze municípios e 36 comunas da província do Huambo.

Deu a conhecer que, actualmente, a província tem 495 médicos e 4.969 enfermeiros, tendo considerado ser um número insignificante, devido ao crescimento da densidade populacional.

Formação de quadros

No âmbito da formação e especialização de quadros, Lucas Nhamba afirmou que 248 médicos estão a fazer especialidade dentro e fora da província, nas áreas de Urologia, Neurocirurgia, Pediatria, Maxilo-Facial, Neonatalogia, Imagiologia, Obstetrícia, Ginecologia, Neurologia, Estomatologia, Medicina Interna, Geral, Familiar e outras.

A formação, sustentou, permite elevar as competências e habilidades dos médicos, garantindo maior preparação para desenvolver as funções assistencial, docente, administrativa e investigativa nas principais áreas do sector da Medicina.  

Lucas Nhamba explicou que os vários cursos ministrados por especialistas cubanos, no âmbito das relações bilaterais entre Angola e Cuba, estão inseridos no programa de formação de quadros, visando a melhoria do atendimento médico e medicamentoso, com destaque nas comunidades rurais.      

Ganhos no sector

Segundo o director do Gabinete Provincial da Saúde, com a municipalização dos serviços da saúde, a rede sanitária no Huambo cresceu significativamente, fruto do melhoramento das infra-estruturas sanitárias.

As doenças como a malária, diarreia aguda, respiratórias e meningite têm sido as mais frequentes.

Transportes

No que toca aos meios de transportes, afirmou que o sector da Saúde no Huambo conta com 158 viaturas, entre ambulâncias e carrinhas de apoio hospitalar.

Fonte: JA

Deixa o seu comentário