12 de Junho, 2024
Edit Content
Vacina Anti-malárica: Particularidades e Desafios de Saúde Pública Global
Assistência MédicaÓscar Paulo, JR.Saúde e Medicina

Como método preventivo, a primeira vacina contra malária foi aprovada em 2015 e nomeada como Mosquirix. Actualmente há duas vacinas contra malária, a RTSS e R21, que conferem ótima proteção ao indivíduo após a 3ª ou 4ª dose.

Estas vacinas (RTSS e R21), desenvolvidas por meio de fragmentos de ADN recombinante (rADN ou rDNA) pela Path Malaria Vaccine Initiative e a GlaxoSmithKline, têm seu mecanismo de ação baseado na atividade de antígenos CSP que favorecem a produção de anticorpos que impedem a invasão do patógeno nos hepatócitos e promovem a destruição de células infectadas. Em outras palavras, esta vacina não permite a entrada do parasita nas células do fígado e garante a destruição de células sanguíneas que foram infectadas.

Apesar desta vacina ter sido aprovada em 2015, campanhas “piloto” de vacinação solidificadas e fiscalizadas pela OMS começaram em 2021 e, progressivamente, foram beneficiados 12 países africanos com total de 18 milhões de doses distribuídas até Julho de 2023. Este passo inicial foi dado massivamente em África porque neste continente a malária é uma das principais causas de morte e, paulatinamente, há intensão de aumentar a disponibilidade com cerca de 40-60 milhões de doses até 2026.

Por ser um grande desafio de saúde pública continental, o Ministério da Saúde de Angola tem demonstrado a intenção de dar resposta adequada por meio da criação de programas para aquisição desta vacina. É passível lembram que, embora as autoridades busquem cumprir o seu papel de domínio, prevenção e promoção da saúde, o cidadão deve continuar a realizar ações que o conferem proteção (como uso de mosqueteiros, repelentes e inseticidas).

O melhor método de cuidado, para todos nós e os que amamos, ainda é a prevenção.

Artigo de Óscar Paulo JR

Óscar Alfredo Paulo JR, graduando de Medicina e monitor de Habilidades Clínicas na SLMANDIC – Faculdade São Leopoldo Mandic.
Presidente da Liga de Medicina Intensiva da SLM – Campinas (Dez. 2021 – Jan. 2023)
Tesoureiro da Liga de Cardiologia da SLM – Campinas (Jan 2021 – Jan 2023).
Voluntário e diretor do GEPE da Change 1’s Life AO (2020-2021).

Deixa o seu comentário