15 de Abril, 2024
Edit Content
Huambo cria 273 centros de tratamento de eventuais casos de cólera
AngolaNotícia

Duzentos e 73 centros de campanha para tratamento de eventuais casos de cólera foram criados, há dias, na província do Huambo, devido ao surto dessa doença que se regista em alguns países vizinhos de Angola.

Em declarações nesta segunda-feira à ANGOP, o chefe do departamento de Saúde Pública, Valentim Catolo, informou que os referidos centros foram montados em igual número de unidades sanitárias, entre hospitais provinciais, municipais, centros materno-infantis, centros de saúde e postos sanitários.

O responsável informou que a medida visa evitar a proliferação da cólera na província do Huambo, com ligação ao Corredor do Lobito, bastante activo e que apresenta uma rota alternativa estratégica para os mercados da Zâmbia e da República Democrática do Congo, assolados pela por esta doença.

Disse que os centros de tratamento de cólera contam com soro de reidratação oral e mecanismos de infusão intravenosa, para assistir eventuais casos que venham surgir em qualquer município desta região do Planalto Central.

Neste momento, acrescentou, aguarda-se pela colocação de camas (apropriadas para a acomodação dos doentes).

Valentim Catolo adiantou que as autoridades locais desenvolvem campanhas intensas de sensibilização contra a cólera, através de programas de esclarecimentos sobre os sintomas, técnicas caseiras de tratamento, vias de contaminação e cuidados primários.

A campanha consiste, igualmente, na distribuição de cartazes com informações sobre os métodos preventivos da cólera e a importância da higienização permanente, para maior envolvimento da população.

Explicou que a cólera é uma doença infecciosa causada por uma bactéria conhecida de “vibrio Cholerae” que, normalmente, ataca os intestinos  e com uma capacidade de programação rápida através da água e alimentos para o consumo humano.

Realçou que os sintomas da cólera podem acontecer no prazo de dois a cinco dias, depois de consumir água ou alimentos contaminados  com a bactéria, causando assim no  no paciente diarreias intensas, fezes mais líquidas, cansaço,  náuseas e vómitos constantes.

Fez saber que o tratamento passa pela ingestão de líquidos ou soros, para evitar a desidratação  causada pela diarreia severa.

Os últimos casos de cólera ocorreram em 2014, na província do Huambo, com um registo de 134 casos, nove óbitos e uma taxa de letalidade fixada na ordem de 7 por cento, com maior incidência para os bairros de Benfica, Canhe, Macolocolo, Rua do Comércio e São Pedro, nos arredores e periferia do município sede desta região. 

Fonte: Angop

Deixa o seu comentário