15 de Junho, 2024
Edit Content
Presidente da República inaugura primeira fase do Hospital Militar Principal/Instituto Superior
AngolaNotícia

O Presidente da República, João Lourenço, inaugurou esta quinta-feira, em Luanda, a primeira fase do Hospital Militar Principal/Instituto Superior, dotado de tecnologia moderna para prestar assistência especializada aos efectivos e seus familiares.

A unidade sanitária tem capacidade para 160 camas e foi construída em 33 meses pela empresa Omatapalo.

As instalações contam com sala de observação, de urgência, imagiologia, laboratório, ecografia e vai apoiar a formação dos profissionais da saúde militar.

A ministra da Saúde, Silvia Lutucutal em declaração a imprensa, disse que o país  ganha uma grande unidade sanitária de referência terciária que pertence ao subsistema de saúde militar .

De acordo com a titular da pasta, o  hospital vai oferecer serviços de várias especialidades, desde médica a cirúrgica.

Salientou que este novo empreendimento, com uma capacidade para 160 camas, possui cinco blocos operatórios, salas de
cuidados intensivos, centro de imagiologia, equipamentos e meios de urologia, ortopedia entre outras valências que refletem o compromisso em fornecer um amplo espectro de cuidados de saúde de qualidade.

O parque de estacionamento do hospital foi igualmente requalificado e ampliado, possuindo agora 90 lugares) para garantir a comodidade e acessibilidade dos utentes. 

Para a ministra, estas instalações vão assegurar as melhores condições de assistência médica e medicamentosa das  Forças Armadas Angolanas e suas famílias.

Além disso, este hospital está preparado para actuar em situações de emergências de saúde pública, crises pandémicas e desastres naturais.

O projecto de construção e reabilitação do hospital militar principal e instituto superior comporta duas fases de execução. 

A primeira fase foi  inaugurada hoje, num prazo de execução de 33 meses, tendo compreendido a construção de dois edifícios com quatro pisos cada, além de trabalhos de requalificação das áreas adjacentes, com novas infraestruturas envolventes, incluindo o paisagismo, iluminação e o apetrechamento.

Na ocasião, o ministro da Defesa Nacional e Antigo Combatentes e Veteranos da Pátria, João Ernesto dos Santos, considerou a obra concluída como um dos pontos mais altos no conjunto de outras em curso nas regiões militares de Cabinda, Huambo, Luanda e Moxico .

Salientou que, com a conclusão das mesmas, se registará uma viragem significativa na rede de saúde militar, pela excelência dos serviços que estarão em condições de prestar.

O hospital principal / instituto superior é uma unidade sanitária do último escalão do sistema de tratamento médico das forças armadas.

As infraestruturas hospitalares recebidas das forças armadas portuguesas, aquando da independência, há 49 anos, eram na sua maioria pavilhões provisórios.

Enquanto durarem as obras da segunda fase, continuarão a serem utilizadas as instalações do hospital de campanha de Viana, onde estão a funcionar os serviços de hemodiálise, fisioterapia, psiquiatria , infectologia, lavandaria, esterilização .

 O hospital dará ainda apoio ao internamento de várias especialidades.

Nos antigos edifícios funcionarão provisoriamente as áreas técnicas , a unidade de cuidados intensivos para acidentes cardiovasculares, neurologia e a cirurgia vascular.

Fonte: Angop

Deixa o seu comentário