23 de Julho, 2024
Edit Content
RUÍDO EXCESSIVO NOS LOCAIS DE TRABALHO: COMO PROTEGER A AUDIÇÃO?
Artigos

O Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho assinala-se no próximo dia 28 de Abril, com o objectivo homenagear as vítimas de acidentes de trabalho e de doenças profissionais. Neste contexto, é importante não esquecermos que a perda de audição é uma das doenças profissionais mais comuns, mas para a qual os trabalhadores estão menos sensibilizados, uma vez que, na maior parte das vezes, o ruído não causa dor e os seus efeitos nocivos não são imediatos.

Efectivamente, são muitos os locais de trabalho, designadamente nos sectores industrial e fabril, na construção civil, na área do som e da música, entre outros, em que é comum existir um volume de ruído superior ao desejável para o bem-estar e a saúde da nossa audição.

Um ambiente é considerado ruidoso quando ultrapassa o nível de decibéis (dB) aceitável. Idealmente, para garantir a segurança auditiva, o nível de ruído não deve estar acima dos 80dB. Sempre que esse valor é ultrapassado, pode surgir desconforto, dores e zumbidos, o que indica o início de um impacto nocivo na audição, caso a mesma continue exposta por um longo período de tempo a esse ruído.

Não existem dúvidas de que os ambientes com ruído excessivo podem causar danos, muitas vezes irreversíveis, à audição humana, pelo que proteger os ouvidos nestes ambientes e contextos é de elevada importância para garantir a preservação da saúde auditiva.

A regra número um é a utilização de Equipamentos de Protecção Individual, designadamente protectores auditivos individuais apropriados. No mercado existem vários acessórios disponíveis para abafar os sons extremamente altos, principalmente para quem trabalha em sectores com máquinas e/ou ferramentas a motor.

Para trabalhadores da construção civil, manutenção viária ou indústrias, usar protectores auriculares é fundamental. Existem vários modelos disponíveis, ainda que os mais adequados sejam os confeccionados com silicone, por serem mais confortáveis, resistentes e fáceis de limpar. A principal recomendação na utilização destes protectores é manuseá-los com as mãos limpas para evitar a contaminação do ouvido.

Existem ainda os abafadores, compostos por duas conchas de plástico e revestidos com materiais isolantes de som, contando ainda com um suporte para ser ajustado na cabeça. Como não têm contacto directo com o canal do ouvido, os abafadores podem ser manuseados com as mãos sujas ou com luvas, já que são muito utilizados em sectores operacionais.

Se trabalha em ambientes com ruídos constantes, pense na sua segurança e saúde auditiva, e ande sempre acompanhado com os seus Equipamentos de Protecção Individual. Além disso, é ainda importante que realize exames regulares à audição e esteja atento aos sintomas e sinais de alerta, como dificuldade em entender as conversas, pedir muito para repetirem o que foi dito, assim como aumentar o volume da televisão de forma constante.

Importa não esquecer que o diagnóstico precoce da perda auditiva assume um papel crucial na qualidade de vida e no bem-estar das pessoas, já que permite não só a adopção de intervenções e tratamentos mais eficazes para controlar o avanço da condição, como a redução dos impactos sociais e emocionais ligados à perda da audição.

Fonte: https://centroauditivolider.com.br/blog/post/223/como-proteger-os-ouvidos-em-ambientes-ruidosos

Priscilla Thompson

Fonoaudióloga e Chefe de Loja da Audioclinic

https://centroauditivolider.com.br/blog/post/303/por-que-e-importante-ter-um-diagnostico-precoce-da-perda-auditiva

Deixa o seu comentário